2006/09/17

11 de Setembro de 2001 e a Verdade!

Esta imagem "rapinei" aqui


A história contada pela Administração Americana acerca do 11 de Setembro é um amontoado de mentiras, sem ponta por onde se lhe pegue.

Por detrás do 11 de Setembro existe uma conspiração (ou várias?). Uma conspiração que vinha sendo preparada há muito tempo; uma conspiração envolvendo um elevado número de máfias e TODA a Alta Criminalidade, com o objectivo de “dominarem o Mundo”.

Essa gente tenebrosa, poderosa à custa de dinheiro sujo e de negócios obscenos, está infiltrada nos altos cargos da Administração Americana e por todo o Mundo e engendraram o 11 de Setembro como forma de utilizarem o poderio militar (e internacional) Americano para “protegerem”, expandirem e alargarem os seus negócios… que incluem o tráfico de armas, as indústrias do petróleo e o tráfico de droga… Uma mistura explosiva, como vêem.
Uma “santíssima trindade” que justifica bem o renascimento das práticas, teorias e “justificações” da Inquisição, ou, se preferirem, de Hitler…

O principal objectivo do 11 de Setembro era engendrar uma “justificação” que permitisse, a essa gente tenebrosa, actuar às claras, continuarem a cometer todos os seus crimes e atrocidades sem necessitarem de se esconder, pretextando a “Luta contra o terrorismo”
Por isso Bush pai disse, um dia, a uma jornalista sua “assistente”:
“Se as pessoas soubessem o que fizemos seríamos perseguidos, pelas ruas, e linchados!”
O filho (e a escumalha que o rodeia, de cuja o pai faz parte) é bem pior.

Se alguém se der ao trabalho de seguir os muitos links do site linkado acima, certamente ficará com poucas dúvidas acerca da existência de conspiração… Mas também basta olhar para o Mundo e para a infâmia e arrivismo dos actos “justificados” com o 11 de Setembro, indagarmo-nos acerca de “quem ganha com isso e quem perde” para chegarmos à mesma conclusão.

Isto para explicar que não me interessam as teorias da conspiração mas as consequências desastrosas, palpáveis, evidentes, dessa mesma conspiração.

Quando a gente fala deste assunto e diz, claramente, que os atentados terroristas de 11 de Setembro foram uma conspiração, os crédulos (e sobretudo os provocadores falaciosos) costumam perguntar qual a lógica (e os motivos) dos conspiradores, exigir uma explicação e também o quando o como, o onde e os porquês.

Em boa verdade eu não sinto obrigação de responder a nada disso, limito-me a constatar que aquele amontoado de patranhas é só falsidades. Não sinto obrigação, até porque ninguém me pode obrigar a “compreender” (a lógica dos) facínoras; mesmo porque eu não sou assim.

No entanto, com os conhecimentos e exemplos históricos existentes, é fácil perceber os porquês e a lógica.
Basta recuar até meados do século passado e lembrar o comportamento e “justificações” dos nazis e seus acólitos. Eram tal e qual como agora.
Basta recordar a Inquisição e as respectivas barbaridades cometidas “em nome de Deus”

O problema complica-se quando a gente fala do nosso quinhão (aqui em Portugal) desta perfídia, que inclui escandalos judiciais e os incêndios florestais, por exemplo. Aí ninguém nos compreende, ninguém vê, ninguém percebe as semelhanças e a comunhão de objectivos...

Até porque, no que concerne aos acontecimentos internacionais e na América, muita gente fala e se interroga, muita gente se preocupa e, como dizia um outro bloguer há dias: “a coisa está a “aquecer”!

Há um outro problema (grave?), em relação às mentiras por detrás dos atentados terroristas de 11 de Setembro: é que, baseando-se a propaganda num chorrilho de mentiras, muitas histórias foram inventadas para “encobrir” e “credibilizar” outras “histórias”.
Sucede que, em casos como este, com mentiras atrás de mentiras, as contradições insolúveis sobressaem… e resultam, daí, uma infinidade de “teorias da conspiração” incompatíveis entre si, quando as pessoas começam a valorizar uma “história” (mentira), porque querem demonstrar as contradições com outra “história”, mentira, visto que elas são incompatíveis.

Por isso eu não vou defender nenhuma das “teorias da conspiração”. Como disse acima, há uma enorme quantidade de “interesses” de diferentes máfias criminosas, em jogo, que podem determinar acontecimentos aparentemente antagónicos, mas contribuindo para o mesmo fim: desestruturar as sociedades e as economias nacionais, impor miséria, ignorância; lançar confusão (e violência, se possível e "necessário") submeter os povos a governos arbitrários e prepotentes, arrivistas… de modo a prevenir e evitar as “resistências” dos cidadãos aos crimes destes facínoras.

A CIA está implicada e infiltrada, ao mais alto nível, por essa gente tenebrosa. Por isso criou, alimentou, treinou, doutrinou e colocou no poder uma série de Governos fundamentalistas, ao mesmo tempo que faz “guerra ao terrorismo” culpando os fundamentalistas. Fez o mesmo com as “organizações terroristas”.
Se conseguirmos compreender isto, e desconfiarmos das coisas lineares, será mais fácil perceber a lógica dos actuais acontecimentos no Mundo.

Mas, como disse acima, não me compete “explicar” as conspirações, apenas denunciar as mentiras evidentes. Até porque eu sou contra as guerras, a criminalidade institucionalizada, o tráfico de droga, as agressões militares e invasões de qualquer país, que não têm qualquer justificação ou razão de ser, no actual estádio de desenvolvimento da civilização, e que muito menos são toleráveis quando são usadas mentiras e actos conspirativos como pretexto.

Portanto, a mim não me interessa a lógica dos facínoras nem as explicações dos seus “motivos” (as únicas que têm acesso aos OCS em Portugal).
Eles “decidiram” invadir outros países e fazer guerras (com todo o seu rol de atrocidades e vítimas inocentes) pretextando os atentados terroristas e culpando outros governos de cumplicidade. Logo, são eles que têm de provar quem são os autores dos atentados terroristas (sem que isso lhes dê o direito de vitimar pessoas e países inocentes) e não conseguem fazê-lo. Eles é que são os agressores, os invasores, os torcionários e têm de provar que não são meros criminosos facínoras que cometem umas atrocidades para “justificarem” outras… e não estão a conseguir fazê-lo.

No que concerne aos acontecimentos de 11 de Setembro:
Há quem diga que não houve aviões sequestrados, nem foram aviões que embateram no WTC, até porque a versão oficial é impossível, as imagens que vimos são “fabricadas”

Outras análises e outras teorias, para estes e outros “acontecimentos” desse dia, ficam para próximos artigos.

O pior disto tudo, a lógica que está por detrás destes actos destes facínoras, está intimamente ligada com a IMPUNIDADE, os abusos de poder, a prepotência. Por isso eu acho inadmissível que a comunidade internacional tolere a continuação da ocupação do Iraque, mesmo depois de se saber que a invasão foi “justificada” com mentiras. Por isso eu acho inadmissível que a comunidade internacional continue a tolerar e a compactuar com o terrorismo do estado de Israel.
Quando este tipo de impunidade acabar, estaremos mais perto da paz e diminuirá o risco de assistirmos a novas conspirações como o 11 de Setembro em New York, o 11 de Março em Madrid, o 7 de Julho em Londres.

Há muitas coisas relacionadas com o 11 de Setembro relativamente às quais as mentiras das versões oficiais são evidentes. Basta passar uma vista d’olhos pelos inúmeros documentos existentes na NET para o confirmar…
Eu achei, desde o início, que aquela história estava muito mal contada. Mesmo antes de conhecer e avaliar outras opiniões, estudos, experiências, etc.
Mas agora as coisas começam a ser muito mais claras para muito mais gente. Já nem os grandes órgãos de comunicação social conseguem evitar “o tema”. Só cá é que a censura fascista continua “de vento em popa”, a silenciar tudo o que não seja as versões dos facínoras da administração americana…
A título de exemplo cito dois artigos do Washington Post: este e este

Reparem que o primeiro destes dois artigos é referido e “linkado” por, apenas, 16 blogues… enquanto que o segundo é referido e “linkado” 283 vezes, nos blogues, (incluindo a referência em Sociocracia). Ou seja: a “coisa” começa a aquecer, a sério!

O meu problema é escrever demais; mas, convenhamos que o tema é complexo, não se pode “arrumar” em duas frases.
Em próximos artigos analisarei outros aspectos particulares e outras evidências específicas.

1 comentário:

victor santanna disse...

olha gostei muito da sua materia e ajudarei a divulgar prq isso que vc escreveu tem fundamento e eh muito interessante para que todos fiquem sabendo o que realmente eh a america.